A importância de monitorar a pressão sanguínea dos animais. | Tradevet
Publicado: 02/01/2020

A importância de monitorar a pressão sanguínea dos animais.



O monitoramento de pressão sanguínea ou também chamado de pressão arterial, possui por definição o ato de vigiar, verificar ou observar a pressão sanguínea do animal.

Problemas com a pressão sanguínea podem causar sérios danos ao animal, como derrame cerebral, insuficiência renal, descolamento de retina (que pode levar a cegueira), emagrecimento, etc.


MONITORAMENTO PERIÓDICO: 

O monitoramento periódico tem vital importância na manutenção e controle de doenças crônicas, adequando o tratamento e as doses de medicamentos para manutenção da saúde e qualidade de vida do paciente.

Esse diagnóstico é de responsabilidade exclusiva do médico veterinário. 

A mensuração pode ficar prejudicada em animais muito agitados ou agressivos, com hipotensão severa e/ou animais obesos. 

Deve-se realizar uma pequena tosa na região do “pulso” quando utilizar o doppler vascular por exemplo, e o animal deve estar calmo.

A mensuração pode ser feita nos membros anteriores ou posteriores, com o animal deitado, ou na cauda, com o animal em estação (em pé). Dependendo do comportamento do animal, a mensuração pode levar alguns minutos, e caso seja detectada alteração de pressão arterial, o veterinário poderá analisar as causas e a forma de tratamento adequada.

O exame é indolor.


MONITORAMENTO DURANTE PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS:


O monitoramento durante procedimento anestésico é fundamental para pequenos e grandes animais. 

Com o avanço da monitorização conseguiu-se obter uma grande margem de segurança, pois permitiu a identificação de eventuais alterações fisiológicas que possa comprometer a vida do paciente, facilitando assim para o cirurgião e sua equipe durante todo procedimento.

Durante o monitoramento é fundamental que se saiba de forma eficiente fazer uma correta avaliação da oxigenação tecidual, da circulação, da função cardíaca, da ventilação e da temperatura, identificando e registrando todas as alterações fisiológicas do paciente.


Pressão arterial: permite avaliar o plano anestésico, sendo um indicador precoce da função cardiovascular, A pressão arterial (PA) é o produto do débito cardíaco e da resistência vascular periférica. 

Pressão sistólica (PS) é a pressão exercida pelo sangue como resultado da contração do ventrículo esquerdo. 

Pressão diastólica (PD) é a pressão exercida pelo sangue dentro da veia quando o ventrículo está em repouso. 


Qualquer fator que altere o débito cardíaco ou a resistência vascular periférica alterará a pressão sanguínea.

PVC (pressão venosa central): parâmetro fundamental em cirurgias com grandes variações de volemia, ou quando são administrados grandes volumes de soluções (cristalóides, colóides, sangue, plasma), A pressão venosa central (PVC) é a função de quatro forças independentes, sendo elas:

1) Volume e fluxo de sangue na veia cava.

2) Distenbilidade e contratilidade das câmaras direitas durante enchimento.

3) Atividade venomotora da veia cava.

4) Pressão intratorácica.


Oximetria: método não invasivo que permite avaliar a saturação de oxigênio arterial, com o objetivo de identificar episódios hipoxêmicos. 

A oximetria de pulso é um método não invasivo para mensuração da saturação arterial de oxigênio (SaO2). 

A saturação de oxigênio é a porcentagem de hemoglobina que está ligado ao oxigênio. 

O oximetria de pulso pode sofrer interferência de vários fatores, dentre eles, a pigmentação e espessura da pele e/ou tecido e colocação da probe. 


Animais que necessitam de oxigenioterapia ou estão sob anestesia devem ter a SaO2 monitorada em tempo integral além de monitorar também sinais físicos de hipóxia (taquicardia, arritmias, alteração da pressão sanguínea, aumento da FR e alteração da coloração da mucosa). 

O uso da oximetria de pulso pode alertar antecipadamente uma deterioração do sistema cardiopulmonar antes de ser clinicamente visível. 

Aumentos dos níveis podem significar aumento da produção, depressão do sistema respiratório ou hipoventilação. 

Níveis abaixo do limite inferior geralmente está relacionado a hiperventilação. 




DANOS CAUSADOS PELA PRESSÃO SANGUÍNEA ALTERADA: 


CÉREBRO: hemorragias, demências, convulsões e deficit neurológico;

OLHOS: Cegueira, Glaucoma, descolamento de retina e hemorragia; 

CORAÇÃO: Hipertrofia ventricular esquerda, alterações nas artérias e arteríolas;

RINS: Glomerulosclerose, degeneração tubular, atrofia glomerular e fibrose intersticial.


A Tradevet conta com equipamentos exclusivos para monitoramento da pressão sanguínea, saturação de oxigênio e temperatura. Proporcionando ao veterinário e paciente, cuidados completos. 


Nossos monitores de pressão sanguínea Vet 20 e Vet25 e sinais vitais Vet 30 contam com um leque de benefícios e facilidades.


Possuem tolerância ao movimento do animal (tamanho do animal também pode ser selecionado no equipamento), possuem alarmes clínicos ajustáveis e transferência de dados via Bluetooth.

Confira mais detalhes desses equipamentos: 

https://www.tradevet.com.br/monitor-pressao-arterial-suntech


Outra excelente opção para monitoramento de pressão sanguínea são os dopplers vasculares, portáteis, confiáveis e precisos, dão todo o suporte que o veterinário precisa para o atendimento.  


Confira abaixo nossos modelos:

https://www.tradevet.com.br/doppler-veterinario



Fonte: 

https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/veterinaria/monitorizacao-em-anestesia-de-pequenos-animais/73207

Voltar